INAUGURAÇÃO DO PALÁCIO DO EXU DESATA NÓ

 

Mucuiú, motumbá, kolofé, axé, sarava!

 

Ontem, à Rua Chebl Massud, 157, em São Paulo, inauguramos o Palácio do Exu Desata Nó.

De portas abertas a todas e todos, sem distinção – e gratuitamente –, demos início a nosso primeiro Toque de Kimbanda neste espaço: a Casa estava preenchida, por nossa comunidade em peso, pelas tantas pessoas que acompanham a OICD há anos e mesmo por aquelas que vieram pela primeira vez, bem como por Pais e Mães de Santo que vieram compartilhar e viver o axé. Sim, pois Exus e Pombagiras são agentes distribuidores do axé, que se manifestaram na noite de ontem. proporcionando o êxtase da alegria, pois, segundo as palavras do Exu Desata Nó: “o êxtase ocorre quando se rompe o limite da consciência”.

E mais, elencou um dos motivos que fazem as pessoas acorrer aos terreiros para encontrar os Exus e Pombagiras, os “demônios” da sociedade, como assim dita o preconceito: para buscar a felicidade, a saída da rotina viciante e engessada do dia a dia, da vida mecânica, para pôr de lado as máscaras sociais. Eles vêm nos alertar para não vivermos como hipócritas. E dessa hipocrisia deriva o incômodo que essas entidades despertam: o medo que cada um tem de se encontrar consigo mesmo.

Em casa seguimos os ditames da “moralidade” para, na rua e nos momentos em que estamos sozinhos, pensar, sentir e fazer tudo ao contrário: tornamo-nos escravos de nós mesmos. E na escravidão jamais pode haver alegria verdadeira. É assim que Exus e Pombagiras são libertadores.

Estas são algumas pinceladas da noite de ontem, em que todas e todos ainda provaram do ajeum, do alimento distribuído.

Essa grande Festa não se fez em um dia, os membros da comunidade dispenderam esforços por dias e noites a fio nos preparativos.  Assim como esta Tradição não se fez em um dia. O Exu Desata Nó homenageou seu antecessor, Exu Capa Preta, que por décadas conduziu os toques de quimbanda, e da mesma forma hoje presto homenagem a meu antecessor, Babá Rivas Ty Ògìyàn, fundador da OICD.

 

Agradeço a todas as pessoas que estiveram presentes. A seguir, alguns registros dessa grande Festa.

 

Laroyê, mojubá!

 

  

Mãe Maria Elise Rivas

Íyá Bê Ty Ogodô

Mestra Yamaracyê